Como as cotas surgiram na educação brasileira?

Um dos assuntos mais discutidos quanto a educação brasileira é o sistema de cotas. Algumas pessoas apoiam a proposta, enquanto outras acreditam que é perpetuar um problema social.

Mas para compreender, de fato, a aplicação do sistema de cotas é preciso entender o que é esse recurso e como ele surgiu.

O que é o sistema de cotas?

Provavelmente, você já ouviu falar no sistema de cotas aplicado como proposta de melhoria para o ensino superior. E apesar desse recurso não ser nenhuma novidade, muitas pessoas ainda não compreendem o que é o sistema de cotas.

Bem, esse sistema garante que um percentual de vagas em universidades públicas e privadas seja destinado a um público alvo que sofreu algum tipo de injustiça histórica.

Esse ponto pode ser diferente em outros países, mas no Brasil, a injustiça histórica é uma realidade evidente para pretos, pardos e indígenas. 

Além desse público, é preciso considerar igualmente a população pobre que obteve acesso restrito a educação básica e por isso, também concorre no sistema de cotas.

A proposta não é facilitar em si o acesso ao nível superior, mas destinar oportunidades iguais para diferentes realidades, visando um resultado final a longo prazo.

Onde o sistema é aplicado?

Como mencionado, o sistema de cotas é aplicado no ensino superior, apesar de pode estar presente em outros setores. No caso da educação, as cotas ficam disponíveis após a realização do Exame Nacional do Ensino Médio.

Logo após o resultado, os estudantes podem se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (SISU), na condição de cotista. A opção é selecionada na própria página de inscrição, na qual o estudante visualiza também a pontuação média tanto para ampla concorrência quanto para cotas.

A outra opção é concorrer às vagas para o PROUNI 2020 , totalmente destinadas ao público alvo do sistema de cotas. Também é requisito ter concluído o ensino médio na rede pública ou na rede privada como bolsista.

Como surgiu?

O sistema de cotas surgiu, inicialmente, nos Estados Unidos e somente 40 anos depois começou a ser aplicado no Brasil. A proposta surgiu na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

As cotas permitiam que 50% das vagas disponíveis através do vestibular das universidades fossem destinadas aos alunos das escolas públicas cariocas.

Depois, foi a vez Universidade de Brasília (UnB), o que foi levando outras instituições a se interessarem pelo modelo até que ele se tornou uma lei para todo o Brasil.

Voltar a estudar depois dos 40 anos: Realidade de muitos brasileiros

A educação no Brasil infelizmente não é uma das mais empolgantes do mundo, o país está na posição 68º no ranking mundial de educação. Isso reflete o baixo desenvolvimento da educação no país. Com isso, o Governo tem criado formas de aumentar o grau de educação acadêmica de indivíduos, principalmente aqueles que abandonaram a escola quando mais jovens.

Programas de educação do Governo

Após o país ficar por anos em péssimas posições no ranqueamento de nível educacional em vários anos consecutivos, foi criado pelo Governo Federal diversos mecanismos para aumentar o nível de educação da população brasileira.

Dentre as principais estratégias estão a inclusão de cursos profissionalizantes desde cedo na educação de jovens. Desse modo, os jovens já sairão da escola com uma profissão a seguir.  

Para este esquema funcionar, programas como o PRONATEC e o Educa Mais Brasil foram criados. Estes programas oferecem bolsas de estudos para milhares de estudantes todos os anos em todos os estados brasileiros.

Por meio deles, os jovens podem se matricular em instituições de renome como o SENAC e SENAI e dessa forma, frequentar um curso de sua preferência sem custos ou com um desconto de pelo menos 50% do valor total do curso.


Recuperação de adultos para a sala de aula

Aliado tampem a ideia de aperfeiçoamento profissional de jovens, o Governo viu que isso ainda não era o suficiente. Desse modo, foram criados outros programas para dessa vez, tentar recuperar pessoas que haviam abandonado a escola.

Desse modo, o programa Encceja 2020 foi criado. A partir do Encceja, milhares de adultos puderam finalmente terminar o ensino fundamental e médio e obter seus certificados reconhecidos pelo MEC.

Além é claro, de poder voltar a estudar depois dos 40 anos longe de uma sala de aula ou mais.

Sendo o principal programa de recuperação de estudantes, o Encceja é um projeto que trás para si todas as pessoas que abandonaram a escola e agora possuem idade avançada para os anos letivos.

Dessa forma, pessoas acima dos 18 anos podem voltar para uma escola e em um tempo menor, cumprir toda a carga educacional do ensino fundamental e ensino médio.

Após fazer o curso do Encceja, todo estudante deverá realizar a prova do Encceja referente ao ano letivo que está estudando. Desse modo, caso seja aprovado, o estudante receberá o seu certificado.

E uma das grandes vantagens do Encceja, é que o programa conta com aulas em horários flexíveis. Assim, as pessoas que trabalham durante o dia e a tarde poderão frequentar a escola no período da noite.

Desse modo, a busca pela educação não atrapalharia em nada a vida profissional do estudante.  

5 Fatores que podem levar a perda do Bolsa Família

O Bolsa Família é um dos maiores programas sociais do país e auxilia mensalmente diversos brasileiros que se encontram na pobreza. Apesar dos benefícios, é interessante ressaltar que o programa possui algumas regras para permanecer auxiliando esses núcleos familiares.

E caso venham a descumprir esses parâmetros, as famílias podem ser desconectadas do programa. Para garantir o pagamento da sua bolsa, veja a seguir 5 fatores que podem levar ao afastamento do Bolsa Família:

O Bolsa Família é um programa de transferência de renda que auxilia as famílias cadastradas através de um determinado valor. Esse valor pode variar bastante, pois o programa permite o acúmulo de até 5 benefícios.

Esses benefícios são correspondentes a existência de 1 ou mais dependentes, assim como a presença de uma mulher grávida e necessidade do Vale Gás.

O valor é pago através do Cartão Bolsa Família ou do Cartão Cidadão e depende de um calendário bem específico. Por isso, quem vai receber através do calendário Bolsa Família 2020 precisa estar atento às datas!

Um outro ponto para o qual os beneficiários do programa também precisam estar em alerta é o regulamento do Bolsa Família. E para garantir que você não vai perder o seu benefício, confira a seguir alguns fatores que levam ao afastamento do programa:

1. Renda irregular com a declarada

Como você já deve saber, o Bolsa Família é disponibilizado para quem possui a renda mensal máxima de R$170 por pessoa. O Governo está atuando para que um pente fino seja passado nesses beneficiários e quem estiver fora dessa parâmetro pode deixar sim de receber a bolsa. Isso porque o valor declarado será irregular ao que foi declarado no momento de solicitação da bolsa.

2. Cadastro Desatualizado

Para que o Governo e os órgãos responsáveis possam estar cientes da atuação do Bolsa Família e do controle de qualidade de vida desses cidadãos, é preciso manter sempre o cadastro atualizado. Não cumprir com esse ponto pode levar o beneficiário a ser desconectado do programa.

3. Saque não realizado

Apesar do saque não ser recolhido, ele precisa sim ser efetuado. O cidadão pode deixar de sacar até dois meses e a partir dai, o mesmo pode ser questionado por não estar retirando o dinheiro.

4. Crianças não matriculadas na escola

No momento de solicitação do programa, as famílias que possuem crianças e adolescentes menores de idade precisam registrá-las na escola. Se for comprovado que a matricula não foi atualizada, a bolsa pode ser revogada.

5. Informações incoerentes

Ao se cadastrar no Bolsa Família, as famílias cadastradas precisam responder a diversas questões que oferecem dados sobre sua qualidade de vida. Mentir sobre dados pessoais, moradia ou situação financeira pode acabar se tornando um problema!

Confira as novas datas do pagamento Bolsa Família para o ano 2020

O Bolsa Família é um programa que permite o pagamento de um valor mensal para ajudar famílias brasileiras que se encontram em situação de pobreza. Essa inciativa representa, muitas vezes, a principal renda de algumas e por isso, antes da virada do ano, os beneficiários já precisam estar atentos ao pagamento do Bolsa Família. Você já sabe quando vai poder sacar a sua bolsa?

O Bolsa Família irá funcionar da mesma forma?

Considerando as atuais mudanças do governo e as novas propostas para esse ano, muita gente pode estar se perguntando se o Bolsa Família 2020 ainda funcionará da mesma forma. Bem, é importante dizer que a atualização do calendário bolsa família não tem a ver com mudanças dentro do sistema do programa.

A expectativa é que a inciativa esteja beneficiando as famílias da mesma forma, entretanto, que a manutenção do programa se torne mais rigorosa. Isso quer dizer que os sistemas avaliadores das condições sociais podem estar mais atentos aos detalhes de aquisição e permanência no programa.

Uma outra dúvida em relação ao novo ano para o Bolsa Família é quanto ao pagamento do 13° Bolsa Família 2020Esse é um programa de transferência de renda e não caracteriza fins empregatícios, por isso, supostamente não deveria ser acessado pelas famílias. Mas em 2019 o saque foi liberado e a expectativa é que em 2020, os cadastrados tenham direito ao valor.

Para que serve o calendário Bolsa Família?

Se você passou pelo cadastro do Bolsa Família e teve a sua solicitação aprovado, muito em breve estará podendo ter acesso ao seu saque. Como você pode ter notado, cada família faz a solicitação em um período diferente, o que leva a avaliação e a confirmação a também acontecerem em prazos distintos para os beneficiários.

Sendo assim, cada família tem um dia diferente de saque para a sua bolsa. O programa ainda não divulgou dados oficias sobre o calendário Bolsa Família 2020, mas a expectativa é que os pagamentos ocorram com as datas de solicitação como parâmetro de distribuição.

Caso você tenha maiores dúvidas sobre a sua situação com o Bolsa Família ou queira ser informado quanto a previsão de pagamento liberado na sua conta do programa, é possível entrar consultar o seu cadastro através do site do programa, na opção “consulta Bolsa Família”. Você também pode entrar em contato para mais informações através do telefone 0800 707 2003.

Pente-fine do INSS para benefícios por incapacidades ocorrerá em 2020

Recentemente, pesquisas divulgadas revelaram que o Brasil gasta anualmente milhões com o benefício da aposentadoria. Esses números preocuparam economistas e por isso, o atual Governo optou por fazer uma reavaliação da categoria de aposentadoria por invalidez, a fim de garantir que quem recebe o recurso realmente necessite dele.

A previsão é que essa reavaliação esteja acontecendo durante 2020.

A aposentadoria por invalidez é um recurso que fica disponível para alguns trabalhadores que exercem funções através da CLT. De acordo com o INSS, pode solicitar esse tipo de aposentadoria quem estiver incapacitado de exercer suas funções permanentemente.

Essa incapacidade por ser por intermédio de um acidente de qualquer origem ou por alguma doença que esteja prevista no regulamento do INSS.

Além disso, o beneficiário precisa estar de acordo com a tabela de contribuição INSS 2020que prevê no mínimo 12 contribuições para que a solicitação da aposentadoria por invalidez aconteça.

Mas o recurso só fica realmente disponível, quando o contribuinte passa pela perícia média do INSS, que é a única forma legal de comprovar a sua invalidez permanente.

O problema, é que o Governo acredita que essa perícia médica, momento decisivo na liberação da aposentadoria, possa ser um processo falho.

E isto quer dizer que, algumas pessoas podem estar utilizando o recurso da aposentadoria por invalidez sendo ainda capaz de atuar em outras áreas e cargos.

Por isso, está previsto um processo de reavaliação dos recursos da aposentadoria por invalidez, a fim de garantir que apenas os contribuintes que não puderem exercer sua função nem ser realocados na empresa, estejam utilizando o benefício.

A expectativa é que a tabela de pagamento INSS 2020 esteja sendo acessada por quem realmente precisa do recurso e assim, os cofres públicos possam poupar uma porcentagem interessante com a reavaliação.

Números divulgados nos tabloides recentemente apontaram um gasto de, em média, R$1,9 bilhõs do Governo com a aposentadoria por incapacidade permanente.

Além disso, um outro ponto que chamou a atenção dos especialistas na área foi o gasto com o recurso do auxílio-doença, que também fica disponível em algumas situações para quem trabalha com a carteira assinada.

Portanto, o pente fino que o Governo estará passando nesses benefícios prevê uma economia considerável para os cofres públicos, o que será possível através da recapitulação da perícia médica, que provavelmente estará mais rigorosa ara quem for solicitar esses recursos.

Qual o valor pago pelo bolsa família?

O Bolsa Família é um programa de transferência de renda proporcionado pelo Governo Federal. Mensalmente, a inciativa possibilita a transferência direta de determinada quantia para uma conta criada em nome da família beneficiada.

Quando o assunto é o Bolsa Família, muita gente ainda tem diversas dúvidas e a mais questionada entre elas é em relação ao valor pago pelo programa.

O bolsa família surgiu como uma proposta de combate a fome e a pobreza em algumas regiões do país. Além disso, os dados gerados pelo programa permitem que o Governo verifique as carências dos estados e onde estão situados os maiores índices de necessidade da bola ofertada.

O programa se divide em duas categorias a fim de beneficiar com uma quantia referente as condições da família. De acordo com o Bolsa Família, tem direito a se inscrever:

  • As famílias que possuem renda mensal de até R$ 85,00 por pessoa, sendo estes registrados em situação de pobreza extrema.
  • As famílias que possuem renda mensal entre R$ 85,01 e R$ 170,00, sendo estes registrados somente em pobreza.

Vale mencionar ainda que as famílias interessadas precisam estar devidamente cadastrados no Cadúnico, programa fundamental para receber diversos benefícios.

Como é distribuído o Bolsa Família?

Como você pôde conferir acima, o programa se divide em duas categorias no intuito de beneficiar, em questões monetárias, corretamente cada núcleo familiar.

Isto quer dizer que o valor da bolsa pode variar muito de família para família e quem está pensando em se inscrever precisa estar atento a alguns acréscimos disponíveis.

É importante ressaltar também que o pagamento do benefício pode não ser igual para todos, afinal, o programa avalia cuidadosamente cada situação. Por isso, vale a pena estar atento ao calendário Bolsa Família 2020 para não acabar com o seu pagamento retido.

Mas afinal, qual é o valor oficial do Bolsa Família?

É esperado um valor base de R$ 85,00 para as famílias beneficiadas, entretanto, existe uma grande variação devido aos acréscimos mencionados. Confira:

  • Para cada criança registrada no programa, há o acréscimo de R$ 41,00 reais;
  • Para cada adolescente com idade entre 16 e 17 anos que estiver cadastrado no programa, é acrescentado o valor de R$ 47,00 reais;
  • Para cada gestante registrada é pago o valor de R$ 41,00 durante os nove meses da gestação;
  • Para cada recém-nascido que for registrado entre 0 a 6 meses de vida, é acrescentado ao total um valor de R$ 41;

São Paulo tem 30% das escolas abaixo da média nacional no Enem

São Paulo sempre foi referência em educação para o país, sendo cede para algumas das melhores instituições do ensino superior da América Latina. Entretanto, recentemente uma pesquisa divulgada chocou os paulistas, revelando que possui 30% das escolas com a média abaixo do esperado, de acordo com a avaliação do Exame Nacional do Ensino Médio.

Mas o que isso quer dizer sobre a educação do estado e porque os índices são tão diferentes para os níveis de ensino médio e superior?

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é um sistema avaliador do ensino médio no país e no inicio, esta era a sua única função. Com o passar dos anos, o exame deixou de ser somente um instrumento de avaliação do ensino, para se tornar o sistema distribuidor de  vagas da rede pública e privada.

O acontecimento do exame promove um dos concursos mais importantes do país, responsável por encaminhar os nossos jovens para o ensino superior. A partir dai os alunos podem se inscrever no SISU ou no PROUNI.

Entretanto, de acordo com índices que vêm sendo avaliados desde 2016 pelo Ministério da Educação, São Paulo teve uma participação menor que o esperado por parte dos estudantes do ensino médio no Enem.

As pesquisas revelam que os estudantes matriculados em instituições de responsabilidade da Secretária do Estado durante o Governo de Geraldo Alckimin do PSDB pouco tem se interessado em se inscrever para o Enem.

E por que isso tem acontecido?

A resistência dos alunos em participar do Exame Nacional do Ensino Médio, logo leva os índices a caírem e São Paulo está agora baixo de diversos estados por conta da diminuição de aprovação. Portanto, isto não chega a interferir de fato na qualidade e excelência do ensino no nível superior.

Acredita-se que o fenômeno acontece devido a falta de incentivo do poder público durante o ensino fundamental e o ensino médio, fazendo com que muitos não se inscrevam para a prova.

Apesar de o Governo estar disponibilizando o caderno do aluno 2020 para complementar os conteúdos dados em sala, ainda é necessário a utilização de mais recursos para incentivar os jovens.

De acordo com os dados, de cada 10 escolas avaliadas, três haviam ficado abaixo da média do Enem, e isto serviu como uma alerta para a manutenção do ensino nas escolas estaduais do país. Espera-se que esses índices possam ser convertidos muito em breve.

TOP 10 melhores universidades públicas e privadas

O Brasil possui índices de avaliação muito positivos em relação ao ensino superior. Algumas de nossas instituições s encontram entre as melhores da América Latina e quem está pensando em começar uma graduação, precisa conhecer de quais instituições estamos falando.

Para ajudar você, trazemos a seguir um TOP 10 com as melhores universidades públicas e privadas. Confira quais são elas abaixo:

Universidades Públicas

As instituições públicas estão espalhadas por todo o país e são responsáveis pela distribuição de vagas no mais diversos cursos. Cada estado possui, pelo menos, uma universidade pública. Essas instituições são conhecidas principalmente pela alta qualidade de ensino e a grande possibilidade de pesquisas e estudos avançados.

Para ingressar nas instituições da rede pública é necessário realizar uma prova de vestibular. Para a maioria das instituições o método de avaliação para avaliar os candidatos é o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Os participantes devem inscrever a sua nota do Sistema de Seleção Unificada (SISU) e escolher duas opções de curso para concorrer.

Mas é preciso ressaltar que algumas dessas universidades não aderiram ou aderiram parcialmente ao sistema de seleção do Enem, como é o caso da Universidade de São Paulo (USP), em que uma porcentagem das vagas é destinada para os participantes do vestibular tradicional da instituição.

Veja abaixo as universidades da rede pública que são referência em ensino, qualidade e outros aspectos:

  1. Universidade de São Paulo (USP)
  2. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  3. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  4. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  5. Universidade Federal do ABC (UFABC)
  6. Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
  7. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  8. Universidade Federal de Lavras (UFLA)
  9. Universidade Federal de Viçosa (UFV)
  10. Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)

Universidades Privadas

As instituições da rede particular de ensino também são referência no país. As opções são muitas e estudar em uma delas pode trazer inúmeras vantagens. Um bom exemplo é a facilidade adquirida pela infraestrutura e avaliação positiva do Ministério da Educação (MEC).

As formas de ingresso são bem parecidas com a da rede pública, pois é possível concorrer às vagas através do programa Universidade Para Todos (PROUNI), como é o caso do vestibular UNB 2020.

A outra opção é o vestibular tradicional que acontece anualmente nas universidades particulares. O vestibular PUC 2020por exemplo, possibilita a forma de ingresso.

Confira abaixo as TOP 10 das universidades privadas:

  1. Escola Superior Dom Helder Câmara (ESDHC)
  2. Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)
  3. Escola de Direito do Rio de Janeiro (Direito Rio)
  4. Centro Universitário Ritter dos Reis (UNIRITTER)
  5. Faculdade de Tecnologia Termomecânica (FTT)
  6. Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV-EAESP)
  7. Faculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic (SLMANDIC)
  8. Escola de Economia de São Paulo (EESP)
  9. Faculdade Fucape (FUCAPE)
  10. Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (EBAPE)

9 participantes de reality show que foram rejeitados pelo público

Quem não perde um bom reality show, já deve saber que seja por bem ou por mal, alguns participantes ficaram bem conhecidos entre o público. E esses que se saem mal, podem ter ficado na história como os mais rejeitados dos programas em que participaram. Você sabe quem são? Vamos relembrar 10 desses nomes a seguir:

1. Fani

Vamos começar falando dela, que virou a queridinha de alguns fãs do BBB: a Fani. A garota participou do Big Brother Brasil em 2007 e ficou conhecida por disputar um paredão histórico com o brother Diego Alemão. Fani foi eliminada com 88% dos votos.  O programa já é conhecido por grandes emoções, por isso já tá todo mundo de olho nas inscrições BBB 20.

2. Rogério

Rogério foi participante do BBB de 2005  ficou conhecido pelo público por sua fama de mau. O participante foi eliminado com 92% dos votos e quem pensa que ele largou a pose de “Bad Boy” por causa disso, está bem enganado! Rogério riu ao saber do resultado.

3. Ana Paula

A Ana Paula do BBB 2018 foi a terceira eliminada da edição e a sua rejeita pelo público foi bem alta. Isto porque os fãs do programa não apoiarem um comentário ofensivo que ela fez contra outra participante.

4. Tessália

O resultado do paredão em que Tessália foi eliminada do reality global BBB em 2010 foi impressionante, pois se tratava de um paredão triplo. E mesmo assim, a participante arrastou consigo 78% dos votos.

5. Elis Regina

A Elis Regina do BBB 2017 foi outra participante a sair da casa através de um paredão triplo. E mesmo na disputa com mais dois brothers, ela saiu com 80,32% dos votos.

6. Dani Souza

Dani participou da primeira edição do reality show A Fazenda e foi a décima eliminada do programa. A participante deixou a casa com 80% dos votos.

7. Miro Moreira

Miro Moreira também esteve presente na primeira edição do programa A Fazenda e sua participação foi bem breve. Ele logo deixou a casa com 67,3% dos votos.

8. Ana Paula

Isso mesmo! A Ana Paula que saiu do Big Brother Brasil esteve na Fazenda e deixou o programa com rejeição de 61% dos votos do púbico.

9. Cacau Melo

Outra que não conseguiu conquistar os telespectadores com sua participação foi Cacau Melo. Tendo entrado na Fazenda, a moça deixou o programa com 60% dos votos.

fonte

O que acontece se você esquecer de sacar o Bolsa Família?

Todos os programas sociais e benefícios proporcionados por órgãos públicos irão disponibilizar uma determinada data para que os beneficiados possam realizar o saque. É o caso do programa Bolsa Família, que possui um calendário de pagamento para as famílias cadastradas no programa. Se você perdeu a data do saque da sua bolsa, é preciso saber como proceder. Confira mais informações abaixo:

Qual o objetivo do programa?

O Bolsa Família surgiu como um projeto de combate ao cenário de pobreza e fome do país e está em vigor há alguns anos. Desde sua criação, o programa passou a beneficiar várias famílias brasileiras.

Mas nem todos podem participar! Para ter direito ao saque da bolsa, as famílias devem se cadastrar no Cadúnico e fazer a solicitação do benefício no CRAS.

A iniciativa do Bolsa Família disponibiliza duas categorias de recebimento: a primeira é destinada à famílias em situação crítica de pobreza; a segunda é para as famílias em situação de pobreza.

As famílias que se encaixam nas categorias do programa podem passar a ter direito ao saque do auxílio financeiro e ainda acumular até cinco benefícios, incluindo auxílio maternidade.

Se você ainda não sabe se tem direito a se inscrever no programa e receber a bolsa, vale a pena conferir mais informações em: https://bolsafamilia2020.com.br/

O que é o calendário Bolsa Família?

Como mencionado, o programa Bolsa Família irá disponibilizar um calendário específico de recebimento pré-determinado por requisitos do próprio programa.

Quem se inscreveu para ter direito ao benefício, deverá estar atento ao calendário bolsa família 2020 para não perder a data de pagamento.

Para verificar quando será debitado o seu valor, é necessário verificar o Número de Identificação Social (NIS) . Esse número está registrado nos últimos dígitos do cartão magnético do Bolsa Família.

Ao identificar o seu digito, é preciso verificar qual o dia de pagamento do programa, que disponibiliza as datas do recebimento dos meses para as famílias.

Deixei de sacar, e agora?

Se você deixou de efetuar o saque do seu benefício, é preciso estar atento! Muita gente se questiona se a bolsa é cumulativa ou não. Bem, se você deixou de sacar um mês, é importante salientar que o benefício é cumulativo.

Isso quer dizer que você poderá sacar a bolsa na próxima data através do seu cartão magnético, mas é preciso ter cuidado para não ser desligado do programa.

Cada família possui uma data determinada de recebimento e quando deixa de sacar por muitos meses, apesar de ser cumulativo, a família pode perder o acesso à bolsa.